Rifaximina: Quais as evidências para tratamento da encefalopatia hepática? - Medictalks
Artigos

Rifaximina: Quais as evidências para tratamento da encefalopatia hepática?

Rifaximina: Quais as evidências para tratamento da encefalopatia hepática?

Escrito por Luana Santiago| Revisado por Dra. Rosamar E. F. Rezende

A encefalopatia hepática (EH) é uma disfunção cerebral metabólica causada pela insuficiência hepática e/ou shunt portossistêmico que leva a um espectro de anormalidades neuropsiquiátricas. A prevalência de EH na cirrose descompensada varia de 16 a 21%, estima-se que após 5 anos do diagnóstico de cirrose o risco de desenvolver EH é de 25%.  Após o primeiro episódio de EH, cerca de 46% dos pacientes apresentam recorrência do quadro em até um ano. A EH deve ser compreendida com um indicador de mau prognóstico independente do grau da falência hepática, tendo em vista que cirróticos com EH alcançam o dobro da mortalidade em relação a cirróticos que não desenvolveram EH. A gênese da EH é em parte explicada pelo ciclo alterado da amônia no paciente hepatopata. O fígado é o responsável pela metabolização da amônia, que é transformada em uréia e excretada pelos rins. Com o prejuízo desta metabolização no cirrótico, a amônia está au...

Quer continuar lendo?

Crie seu cadastro na Medictalks para ter acesso ao conteúdo do nosso blog na íntegra.

Baixe o app

Pronto para fazer parte
da rede Medictalks?

Baixe o app

Baixe o aplicativo e tenha acesso a todos os
benefícios de fazer parte da Medictalks.
Acesso realtime, na palma da mão!