Artigos

Boas práticas e cuidados na publicidade médica: diretrizes para manter a ética

medictalks-carreira
Boas práticas e cuidados na publicidade médica: diretrizes para manter a ética

A publicidade médica é um assunto muito importante a se observar, uma vez que se relaciona a um assunto muito sensível – a saúde das pessoas. Por isso, profissionais da área devem seguir boas práticas e cuidados na publicidade médica. 
Quem regula esse tipo de divulgação é o Conselho Federal de Medicina (CFM), que tem inclusive um manual sobre o assunto. Em linhas gerais, podemos dizer que o CFM orienta que as boas práticas e cuidados na publicidade médica se baseiam em fazer divulgação de forma educativa, bem diferente da publicidade tradicional. 
Neste artigo, vamos abordar alguns dos principais cuidados que médicos e outros profissionais que atuam na área da saúde devem observar na hora de fazer publicidade. 

Como agir seguindo boas práticas e cuidados na publicidade médica 
De modo geral, podemos dizer que se deve prezar pela boa informação e respeito à privacidade do paciente. Também é preciso observar que se veda qualquer tipo de promessa ou publicidade do tipo “antes e depois”. 

O que o médico pode fazer

Divulgar a especialidade, desde que haja registro 
A área de especialização médica pode ser passível de divulgação, mas somente se houver o reconhecimento junto ao Conselho Federal de Medicina. Além disso, é obrigatório que o médico possua o registro dela junto à entidade. 
Independentemente de especialização, todos os médicos devem divulgar o número de seu registro no Conselho Regional de Medicina (CRM). 

Divulgar participação em eventos acadêmicos e científicos da área 
O médico pode anunciar sua participação em congressos ou outros eventos. Afinal, isso é uma forma de demonstrar que ele está se atualizando e/ou tem relevância perante seus pares. 
É preciso cuidar, contudo, para que essa comunicação seja discreta, respeitando os limites do código de ética. 

Divulgar novos tratamentos disponíveis no mercado
Pode-se divulgar novos procedimentos, tratamentos e dispositivos médicos. Isso é até importante, uma vez que em alguns casos é uma forma de mostrar ao paciente que há alternativas de tratamento para além do que já se conhece. 
Entretanto, mais uma vez é preciso fazer isso com moderação. 
Não se pode anunciar um novo tratamento ou procedimento como sendo exclusivo ou pioneiro, uma vez que isso representaria a prática de autopromoção. 

Publicar fotos com a equipe 
É bastante comum em clínicas médicas a publicação de fotos em que apareça a equipe de trabalho. A prática é perfeitamente permitida, uma vez que ajuda a demonstrar coesão da equipe e, também, criar empatia. Em outras palavras, torna o ambiente “mais humano”. 
A única exigência é que as imagens não contenham nenhum paciente ou elemento que o identifique. 

Divulgar conteúdos que promovam a saúde 
Entre as boas práticas e cuidados na publicidade médica, esta talvez seja uma das mais interessantes. Produzir conteúdo educativo, que promova a saúde e ajude na prevenção de doenças, não só é permitido, como também incentivado. 
Imagine, por exemplo, que você tenha especialização em cardiologia e sua clínica possua uma página nas redes sociais. Oferecer conteúdo aos seus seguidores sobre como a prática de atividades físicas, ou como cuidados diários em casa ou no ambiente de trabalho, ajudam na saúde do seu coração é uma boa forma de interagir com o público sem qualquer tipo de autopromoção. 

Fazer esclarecimentos sobre doenças e outras questões de saúde
Esta é outra prática que se recomenda e que tem ligação com a sugestão anterior. 
Muitas vezes as pessoas procuram respostas sobre doenças e tratamentos nas redes sociais. Páginas médicas podem auxiliar, esclarecendo dúvidas. 
É preciso ressaltar, contudo, que isso deve necessariamente se amparar na literatura científica e em termos gerais, nunca de forma individualizada. 
Por exemplo, se alguma pessoa buscar esclarecimentos citando dores que sente ou sintomas que apresenta, é preciso dar orientações de forma a não parecer uma consulta. O médico pode dar orientações genéricas – sempre em tese – e sugerir que procure por auxílio médico, mas sempre com o cuidado de não fazer autopromoção. 

O que o médico não pode fazer 

Publicar imagens do tipo “antes e depois”
No passado, esta era uma das mais comuns, mas é absolutamente contrária ao que regem as boas práticas e cuidados na publicidade médica. Infelizmente, essa prática nociva ainda é vista em alguns casos, sobretudo no que se refere a procedimentos estéticos. 
O Conselho Federal de Medicina veda esse tipo de publicidade porque é simplesmente impossível reproduzir em pessoas diferentes o mesmo resultado. Assim, divulgação do tipo “antes e depois” induzem a uma expectativa no paciente que, muito provavelmente, não se poderá cumprir. 
Em suma, não se pode fazer publicidade com promessa de resultado. Fotos em salas cirúrgicas 
Publicar imagens em uma sala de cirurgia é vedado porque elas podem facilitar a identificação de pacientes. 
O sigilo entre médico e paciente tem garantia em lei, e mesmo que as fotos em salas de cirurgia procurem não mostrar o paciente, elas podem levar à identificação dele. 
Isso pode acontecer por uma série de fatores, como horário, tipo de cirurgia, pessoas presentes à sala de cirurgia ou outros. 
Portanto, fotos em salas de cirurgia ferem as boas práticas e cuidados na publicidade médica. 

Selfies em local de trabalho 
Elas não são exatamente proibidas – afinal, citamos agora há pouco que é possível publicar fotos com a equipe de trabalho. A questão é a forma como se fazem essas selfies. 
Uma boa maneira de saber se a foto atende aos bons preceitos é fazer a seguinte pergunta: esta imagem irá expor um paciente ou poderá identificá-lo de alguma maneira? Se a resposta for sim, não publique. 
A proibição vale inclusive se o paciente for um amigo. Considere que, ainda que se trate de um conhecido de longa data, fotos num consultório remetem à relação médico-paciente. E, como já ressaltamos, veda-se esse tipo de publicidade. 

Exacerbar a capacidade técnica da clínica 
Ter uma clínica médica com bons equipamentos é importante, e não se proíbe fazer publicidade apontando os recursos tecnológicos disponíveis para atendimento. Contudo, mais uma vez as boas práticas e cuidados na publicidade médica exigem que se faça isso respeitando limites toleráveis. 
O importante aqui é sempre ter bom senso. Não se deve utilizar a capacidade técnica para se autopromover ou querer demonstrar que sua clínica é mais capacitada que outra. 

Fazer divulgação de preço ou promoção
A atividade médica tem por fim promover a saúde e o bem-estar, e não fazer comércio ou produzir qualquer tipo de concorrência. 
Por causa disso, é expressamente proibido divulgar preços de procedimentos, formas de pagamentos, fazer promoções ou qualquer coisa do gênero. 
E então, gostou de saber mais sobre as boas práticas e cuidados na publicidade médica? Leia mais conteúdos relacionados aqui no blog da Medictalks.

Baixe o app

Pronto para fazer parte
da rede Medictalks?

Baixe o app

Baixe o aplicativo e tenha acesso a todos os
benefícios de fazer parte da Medictalks.
Acesso realtime, na palma da mão!