Artigo

Acidente vascular encefálico isquêmico de causa indeterminada: revendo e atualizando conceitos

Escrito por Eduardo Abrão Spínola Rezk| Revisado por Dra. Jessica Caetano Barbosa

Conceitos

Publicada em janeiro de 1993, a classificação TOAST (Trial of Org 10172 in Acute Stroke Treatment) apresenta uma divisão em grupos para as diversas etiologias do acidente vascular encefálico isquêmico (AVEi). Proposta como um modelo de padronização da classificação etiológica do AVEi em estudos multicêntricos, divide suas causas em cinco subtipos: aterosclerose de grandes vasos, cardioembolismo, oclusão de pequenos vasos, outras causas determinadas e causa indeterminada. Este é o modelo mais utilizado atualmente.1

A maioria dos AVEis tem causas etiológicas passíveis de serem determinadas com investigação laboratorial usual associada à avaliação cardiovascular, incluindo estudo do ritmo cardíaco e dos vasos cervicais e intracranianos. A maioria dos casos são atribuídos a ateroembolismo de grandes vasos, oclusão de pequenos vasos ou outras causas conhecidas.2

O termo AVEi criptogênico também foi cunhado com propósito de padronização da terminologia em pesquisa, e por certo tempo passou a ser ente...

Próximo Artigo

Diagnóstico e tratamento das principais sindromes epiléticas na infância