Estudo reúne 500 pessoas em um show lotado na Espanha. Como será a transmissão da COVID-19?


A vacina pelo mundo está se aproximando, é verdade. Nem por isso o risco de transmissão será extinto. Para entender o grau de risco de transmissão da COVID-19 em eventos – que devem se retomar aos poucos -, um grupo de pesquisadores de Barcelona iniciou um estudo científico: realizar um show com público de 500 pessoas, com mais de 5 horas de duração, sem distanciamento social e realizando apenas testes rápidos antes do show.

Apesar da falta de distanciamento, as pessoas estavam de máscara e podiam tirá-las apenas para beber, em um andar separado. Vale dizer, também, que todos os 500 testaram negativo para a doença — enquanto isso, outras 500 pessoas participantes do teste, com resultados variados, ficaram em casa como medida de controle.

Os organizadores do estudo vão agora tentar perceber se, no concerto, houve contágio entre os participantes, apesar de os mesmos terem tido um resultado negativo.

Os voluntários que assistiram ao espetáculo de cinco horas, que contou com a atuação de vários grupos rock e DJ, tiveram de usar máscaras FFP2 e desinfetante para as mãos, mas não mantiveram distanciamento dos outros espectadores.

A máscara poderia ser retirada no piso superior da sala, para beber uma só bebida oferecida pela organização.

Todos os 1000 participantes fizeram um teste PCR antes do evento e farão um segundo teste uma semana depois. Os resultados ajudarão os investigadores a perceber se, mesmo com um teste rápido negativo, algum dos espectadores estava infetado e se contagiou alguém no concerto.

Desta forma, a ciência vai entender melhor se a proposta de testagem antes de shows é uma boa ideia — e os Estados Unidos já querem fazer isso também.