Artigo

Dietas com prevalência de vegetais podem reduzir diabetes gestacional

São Paulo, 2 de agosto de 2020
 

Durante a gestação, a mulher se vê obrigada a tomar uma série de cuidados para consigo mesma e para o bebê que carrega. Uma das doenças mais temidas é a diabetes gestacional. Aprender como reduzir diabetes gestacional é fundamental para garantir maior qualidade de vida para a mãe e para o bebê.

O que é a diabetes gestacional?

A insulina é de suma importância para transportar a glicose do sangue para as células. Logo, a diabetes gestacional ocorre justamente quando há uma deficiência do hormônio insulina durante a gestação da mulher.

Logo, se ocorre a diabetes gestacional, é um sinal claro de que necessita haver o controle dos níveis de açúcar no sangue. Dessa forma, é possível manter a saúde do bebê e também a da mulher.

Falando assim, pode parecer um pouco confuso sobre os passos que são necessários seguir para reduzir diabetes gestacional. No entanto, todos eles podem ser seguidos com segurança desde que haja um acompanhamento médico adequado e seguro para ambas as partes.

À primeira vista, é preciso saber que será necessário realizar uma certa mudança na rotina alimentar e no estilo de vida como um todo. Afinal, lembre-se que é fundamental manter a saúde adequada e garantir qualidade de vida e segurança em todos os momentos da gravidez.

A melhor e mais eficaz forma de detectar a diabetes gestacional, bem como mantê-la sob constante vigia, é justamente realizar as visitas constantes ao médico, manter regular os exames pré-natal e, assim, verificar que todo o tratamento está funcionando e resolvendo este e outros problemas.

Como reduzir diabetes gestacional?

Como dito anteriormente, será necessário realizar algumas mudanças na rotina alimentar da paciente. Dessa forma, é possível manter todos os níveis sob controle e garantir eficácia no tratamento. Lógico, é válido lembrar que o acompanhamento médico e as consultas nutricionais são altamente recomendados.

1. Alimentação regular e adequada

Sabe-se que muitas mulheres sentem um desejo incontrolável de comer durante toda a gravidez. Tanto os desejos estranhos quanto a vontade imensa por doces ou salgados, a comida sempre é um fator presente nesse período.

No entanto, é muito importante manter o controle sobre si mesma e com o acompanhamento adequado, garantindo uma alimentação segura e saudável. Este, logicamente, é um momento muito delicado, já que é preciso se alimentar de forma saudável e ainda assim garantir as calorias necessárias para o bebê.

Caso contrário, a criança pode apresentar deficiência de nutrientes e corre o sério risco do feto não se desenvolver. Por isso, pode ser que será necessário ingerir:

  • 10% de fontes de proteína;
  • Menos de 30% de gorduras;
  • Menos de 10% de calorias gordurosas e saturadas;
  • 40% ou mais de carboidratos.

No entanto, com exatidão, somente um médico aliado a um nutricionista poderão dizer de fato o que deve ou não ser consumido. De qualquer forma, pode ser que haja a necessidade de comer regularmente sempre que possível, se alimentar com baixo índice glicêmico, comer frutas e legumes, evitar açúcares, etc.

Em relação a se alimentar de forma regular, pode ser um processo difícil para muitas gestantes, já que a grande maioria sofre com enjoos frequentes, o que pode causar uma certa sensação de nojo para com os alimentos.

Os vegetais são alimentos de grande importância na alimentação de quem procura reduzir diabetes gestacional. Como possuem vitaminas altamente benéficas, podem ser consumidos sob orientação.

2. Atividade física

Uma das melhores formas de reduzir o nível de glicose presente no sangue é justamente praticando atividades físicas. Logo, a prática regular de exercícios físicos pode ser uma ótima e eficaz forma de reduzir diabetes gestacional.

Importante frisar que os exercícios serão todos adequados conforme a capacidade física da gestante, bem como sua rotina. A prática de atividades físicas, mesmo quando de forma simples, é uma ótima forma de agregar saúde ao dia a dia.

Além disso, estima-se que uma atividade de até 15 minutos ou meia hora seja ótimo para reduzir diabetes gestacional, controlar o corpo, auxiliar para a hora do parto, diminuir o estresse e o medo, controlar o peso e o humor, etc.

3. Realize testes

Testar o açúcar presente no sangue é um aspecto de grande importância para saber se os procedimentos adotados estão surtindo efeito. Logo, é de grande valia se certificar de que os exercícios e a dieta alimentar estão agregando valor e causando mudanças satisfatórias e benéficas no açúcar presente no sangue.

Possível ajuda extra

Caso encontre dificuldades para reduzir diabetes gestacional, seja pelo apetite ou por diversos outros motivos, o médico prescrever insulina ou algum outro medicamento que possa ajudar o corpo a regular o nível de glicose.

Ainda que os níveis estejam apresentando-se controlados, o aumento do açúcar no sangue pode ocorrer conforme a gravidez avança e o bebê cresce.

Ou seja, a utilização de insulina pode ser necessária mesmo quando a diabetes gestacional parece estar controlada.

Já que a gravidez é um momento de muita felicidade, mas de imensa seriedade, é de enorme importância manter a gestante sob controle e evitar toda e qualquer hipótese de risco.

Diagnóstico

Para ter melhor ideia sobre as propensões a desenvolver a diabetes gestacional, o médico responsável pela gestante poderá realizar um levantamento familiar, levando em consideração a rotina da grávida e também o seu peso.

Além disso, é possível chegar a um resultado a partir do momento em que os exames de pré-natal são realizados. Isso porque, dessa forma, é possível checar os níveis de colesterol, triglicérides e glicemia.

Logo, qualquer alteração aparente fará com que o médico esteja atento e avise a gestante sobre a possibilidade de haver uma diabetes gestacional e a necessidade de controlá-la.

Além disso, outros problemas também podem se apresentar durante os exames e, assim, serem evitados e monitorados de perto.

Alívio de outros sintomas

O ato de reduzir a diabetes gestacional é de grande importância para a saúde da mãe, do bebê e tranquilidade de toda a família, até mesmo do médico.

Como os hábitos alimentares estão ligados também com aquilo que sentimos, a diabetes gestacional pode ser um agravante para ansiedade, depressão, síndrome do pânico, estresse e demais problemas.

Logo, saber como reduzir diabetes gestacional e fazer o acompanhamento médico correto é uma ótima forma de evitar que a gestante sofra com problemas emocionais, além dos físicos, incluindo a depressão pós-parto.